Blogando a vida de Au Pair

E a vida continua uma caixinha de surpresas.

Quase completando quatro meses por aqui e decido fazer um comentário sobre os meus três meses. Pois é, como sempre chego atrasada nos eventos.
Bom, é isso aí, o comentário dos três meses aqui já acabou e vamos ao que interessa.

Segunda-feira, 17 de agosto, a minha patota chegou com a corda toda. As minhas crias estavam lindas, crescidinhos e continuavam meiguinhos. Foi gostoso, e mesmo com os quatro em casa eu me sinto menos cansada, pois me dão menos trabalho do que eu tive com o pequeno furacão loiro de Lake Tahoe, que só pra constar nos autos, escrevo que estou com saudades.

Na terça, eu estava arrumando algumas coisas e N. de seis anos pegou um Carefree, abriu, virou de um lado, de outro e fez uma cara de "que é isso", e a cara de "que é isso" se transformou numa pergunta com uma rápida resposta dela mesma "ah, eu já sei, Joyce. Isso aqui é de colocar no pé" e colocou o absorvente no pé.

Depois de três meses aqui, eu fui ao primeiro Meeting, no CheeseCake Factory. Eu não conhecia nenhuma das aupair que estavam lá e fiquei toda sem rumo.
Como era de se esperar, me senti um peixe fora d'água porque grande parte das meninas que estavam por alí eram novas demais, parte são under 21 e a outra não passa dos 24 e eu tenho 27... Aupair Grandma.

Estou com o mal humor encubado em mim, pois é, eu tenho mesmo um mal humor terrível e quando vem fica por dias, semanas. E se alguém torrar "os meu pacová" eu vou dar o kick no ass dessa pessoa. Estou avisando, ninguém depois pode dizer que não houve prévio aviso.
O mal humor começou quando eu fui na Ross, uma loja muito barata que tem por aqui. Sai do provador esqueci de devolver a plaquinha de número que eu tinha pegado quando fui experimentar as roupas. A moça - estou chamando a pessoa de moça somente por educação - depois de uma certa distância que eu estava longe dá um grito "Hey MAN, give my number back, right now".
Tente imaginar aquele filme americano, com uma negra do gueto falando alto com todo aquele gingado, gesticulando o tronco, balançando a cabeça e o pescoço como aquele pessoal do Fat Family. Eu não me incomodaria de ser chamada de MAN (cara) se ela tivesse falado baixo, com educação, e se não tivesse dito "right now"(agora mesmo).
A questão é, o que é que eu ia fazer com um bendito de um número de trocador de roupas comigo? Sei lá, talvez recortar e colocar como número da casa, deve ter sido isso que ela pensou. E porque ela falou comigo daquele jeito? Será que ela é tão acostumada a ver as pessoas roubando roupas que se incomodou pelo simples fato de eu esquecer de devolver a bendita plaquinha fedorenta? Meu, eu estava comprando e veria o bendito número e ele ficaria no caixa.
Olhei para trás, voltei, e soltei "Hey, listen, MAN. I'm not your "sista" MAN, I'm not your friend MAN, I'm not man MAN. So, never, never, never speak with me like that MAN.
Embora ela seja um senhora, falou o que quis e ouviu o que eu quis falar também. Bateu...toma.
Sai da loja com uma SACOLA DE PLÁSTICO BEM GRANDE ESCRITO "ROSS". A sacolinha era bem no estilo pobreza e eu fiquei morrendo de vergonha de andar com aquela sacola na rua, tanto que eu peguei um caminho diferente do que eu estou acostumada quando volto pra casa, fui pelo mais escondido que tinha e abraçando a sacola.
Eu me visto de um jeito normal, calça jeans, tênis, jaqueta no dia-dia e é engraçado quando eu passo na rua as pessoas ficam me olhando como se eu fosse de outro planeta, principalmente a negada, me olham de cima até embaixo e eu quase posso escutar um "What hell are you?" ( que diabos é vc?).

Dias atrás, no Depot, um senhor veio até mim e disse "Can I ask where you from?"( posso perguntar de onde você é?). Falei que era brasileira e ele me disse que sempre me via pelas ruas do bairro e achava que eu me vestia diferente dos negros/negras que viviam por ali, pois se vestem de maneira extravagante, colocam apliques no cabelo, pintam as unhas de diversas cores e que falavam alto demais.
Conversei com ele um pouco e no final da conversa ele disse pra eu agradecer a minha mãe por ele, porque eu era muito educada e gostou muito de conversar comigo. Tá, meu senhor, arruma um emprego no Safeway que eu não vou te poupar.
Depois de muito esperar o preço baixar fui comprar o meu computador, cheguei no Best Buy e tinha uma neguinha na porta e veio correndo atrás de mim perguntando onde foi que eu comprei o meu cabelo "It's amazing, so curly, I wanna one like yours"... Peraí, moça. Comprar cabelo? Eu disse que não tinha comprado nada, era o meu cabelo. Ela não muito convencida não acreditou e pediu pra passar a mão no meu couro cabeludo pra ver se era mesmo, ficou com cara de bunda porque não podia comprar um igual. E eu descobri que os cabelos maravilhosos dessas mulheres não são alisados, são apliques muito bem feitos e que não deixam nenhum entrelaçamento aparecendo, parece realmente que são cabelos naturais.

Fuçando no youtube, descobri uma coisa que me fez rir durante horas (http://www.youtube.com/watch?v=7fPO49olPMo&feature=player_embedded) .
E por falar em vídeos, recebí alguns desse ano eleitoral. Fiquei de boca aberta quando eu vi as aberrações que estão acontecendo.
Tiririca dizia que não sabe o que um Deputado Federal faz, mas que quando for eleito ele conta. Bom, eu espero que esse cara nunca conte o quê faz um Dep.Federal, que não fique nem para suplente ou things like that. Batoré tá pensando que é bonito fazer feio no horário eleitoral "gratuito", nem tão gratuito assim. Isso sem contar nas celebridades que estão abaixo da linha das subcelebridades - os ex-BBB's ficam mais tempo na mídia que alguns panguás -  não têm mais fama como antes e contam com voto$ do$ fã$ clube$ pra $e garantir, sei lá se com o mesmo padrão de vida ou se realmente possuem propostas pra alguma coisa.
A questão é que eu não consigo ver nenhum tipo de seriedade, maturidade nesses caras. Eu não falo de maturidade mental, idade, e sim intelectual. Aposto muito se souberem algo como o PAC. Tiririca eu sei que não sabe mesmo, será que a Record resolveu demitir o abestado? Por isso que ele quer um cargo?
Essa semana, a Carol de Ohio me mandou om Vlog de um rapaz chamado Felipe Neto, uns vídeos dele são engraçadinhos, mas eu gostei de um que ele fez a respeito da política ( http://www.youtube.com/watch?v=dAQkMjebkeA&feature=rec-LGOUT-exp_stronger_r2-2r-2-HM ).
Algumas aupairs estão dizendo que este ano estão livre de eleições, eu estou procurando um consulado ou qualquer outro lugar que eu possa votar pra não colocar imbecis como esses na política.

Não tenho muita coisa pra escrever, nessa sexta-feira ( 03/09) eu vou para LA, passar a noite no Aeroporto e alugar o carro cinco da matina.
Alguém me responde o motivo de eu fazer essas coisas depois de velha?
Aguardo respostas.

That's all folks, aguarde LA.

Essa semana  eu estava conversando com uma aupair que mora perto de mim, em um determinado ponto do assunto ela precisou sair, tinha um compromisso: "Ah, Joyce, peraí que vou ali fazer brazilian waxing e já volto" O.o What!?!? Foi de uma naturalidade que eu pude quase ouvir algo que soa como: Ah, vou alí, né! Depilar a virilha, a pequena, o fundão e quem sabe eu volte pra casa andando com uma perna lá e outra acolá, vou dormir dois dias de ponta-cabeça com arnica no fiofó, cicatriza daqui uma semana e na outra eu volto pra fazer tudo de novo.
Depois ela voltou e disse que essa depilação nem dói. Claro que não vai doer, já não tem nada ali além dos ossos.
Nervos, tecido e pele? Pra quê, boba? "Bobagi, sem tamanho, bora lá" em uma seção perder cinco quilos de pele.
Acredito que tirar uma tira de couro do corpo deve ser menos dolorido que isso.

Voltei pra casa e percebi que eu não tenho mais o Safeway perto de mim pra tirar um sarrinho dos caixas, só um mercadinho que tem aqui perto. Eu fico deprimida só de pensar em entrar, lá não dá pra praticar o jogo de respostas óbvias para perguntas cretinas.
Estava eu andando pelo mercadinho procurando o meu iogurtinho quando uma loira me pára, e fala "I love your hair, is so cute". Me perguntou que tipo de shampoo eu uso, pode? Minha senhora, pela situação que os meus cabelos se encontram entende-se que eu uso o mesmo shampoo que Britney Spears, shampoo de laranja.
O pessoal realmente tem um gosto muito suspeito por aqui. Meu cabelo tá muito mal tratado e eles acham o máximo. Isso vai acabar, vou passar a soda e alisar essa vassoura de piaçava.

Notei que o meu inglês melhorou, mas não está do jeito que eu quero, ainda tem coisa que eu não entendo. Hoje eu fui jantar na casa dos vizinhos e estamos nós sentados na mesa, conversando e entra um assunto no qual eu não entendo coisa nenhuma. O quê eu faço? Faço a minha cara de conteúdo, levanto a sobrancelha e balanço a cabeça como quem entende tudo, claro, e até dou risada quando todo mundo ri, aprendi o exato momento que se deve rir.
Claro, não sou 100 % acerto e às vezes falha. Quando falavam das coisas tristes que aconteceram com o cachorro (guess what?), a bocoió riso solto tinha que arreganhar os dentes e rir na hora errada.

Tem algumas semanas que eu estou em busca de um tênis bom e não tenho achado, essa semana ( 03 de agosto), resolvi ir na Niketown que tem aqui em SFO. Entrei e dei de cara com um jogador do Lakers, um baita de um negão, parou próximo da escada rolante e tirou foto de um pôster DELE MESMO, que estava na entrada do primeiro andar. O nêgo estava todo se querendo, bestão.
Essa loja tem muitos andares - como eu só sei contar até quatro fiquei sem saber quantos andares realmente tinham a loja- cada andar é um tipo de esporte, futebol americano, soccer ( futebol com bola no pé), caminhada, musculação, fiquei perdidinha.
Com tanta opção eu não achei tênis pra mim. Motivo? Os tênis da Nike são finos e amassam o peito do meu pé. A solução foi ir para a sessão Masculina, fui, e não achei.
Na verdade o problema nem são os sapatos, e sim meus pés. Repare só, qual ser humano tem um pé que calça tranquilamente sapatos 38 e o outro que calça 40? Isso é lá pé de gente? Claro que não, isso é uma colher de pedreiro. Fui para Adidas e achei o meu tênis por um precinho camarada de USD 60.

Fiquei feliz, alegre e saltitante. Novidades no fim de semana.
Cheguei hoje ( domingo 8 de agosto em casa). Mal entrei no "mécieni"  e já tem um punhado de gente me cobrando "Pô, vc tem que atualizar o BROG". Mas como é que eu vou atualizar se toda hora tem um me berrando. Puxa vida, eu preciso de paz pra invocar o Tico e o Teco, meu.

Final de semana chegou e saí de casa na Sexta-feira para trabalhar. O.o Faz tanto tempo que não sei o significado disso que até eu estranhei quando eu escrevi que fui trabalhar.
Fui para Tahoe ( California Side), cuidei de dois pequenos, os pais são amigos da família.

Comecei a notar diferença entre americanos e não americanos, claro, tem americanos que são super simpáticos e outros ( como nessa família) são um pouquinho mais secos.
-----------------------------------------Break Alô Simpatia------------------------------------------------
Americanos são muito simpáticos principalmente quando você entra numa loja. Em todas as lojas sempre tem um. É entrar e menos de trinta segundos vem uma voz "Hi, how are you going?". Eu sempre fico procurando de onde vem a voz, dias atrás tinha um em cima do lustre trocando as lâmpadas, pelo menos essa voz veio do alto, quero nem andar de vestido quando entrar em uma loja, vai que o cara está abaixado procurando a moedinha da sorte. Medo da pessoa perguntar "Hey, girls, how are you going today", eu hein.
A pessoa ( empregado da loja) pode estar fazendo o que for, elas param pra te falar isso. Tá, estou indo muito bem, mas hoje eu não vou comprar nada.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Chegando lá... Todo mundo pra piscina. Sexta e Sábado danificando o corpinho com cloro. Nesses dois dias a criançada ficou sem tomar banho, a mãe disse que não precisavam pois ficaram na piscina o dia todo, estavam mais que limpos. O.O
Aconteceu que hoje eu fui dar banho na menina, passei o shampoo e caiu um pouco nos olhos. A gúria abriu a boca e a mãe veio logo em seguida dizendo que normalmente ela não chora na hora do banho e me perguntou "Can you explain?" What?! Minha senhora, sua filha está há dois dias só tomando banho de água de piscina, e você ainda me pergunta o motivo do choro? É óbvio que isso é falta de costume, te custa dar banho todo dia na menina?
Falei pra ela que nada tinha acontecido e somente caiu nos olhos o shampoo e ela chorou. Ela falou que estava tudo bem e se foi.
Terminando o banho dela quando eu li na embalagem do shampoo "Johnson&Jonhson NO MORE TEARS", me rasguei de rir.

Hoje, domingo, foi dia de ir embora, arrumamos todas as coisas e caminho da roça.
Paramos no meio do caminho pra comprar algo pra comer. Ideia não muito boa essa que a mãe teve, durante vinte minutos eu vim me borrando na estrada e pedindo para Deus proteção além dos airbags que tinham no carro ( não os meus, os do carro, pô).
Motivo? Simples. A mãe passa no Mc"ruim"Donalds e pede algo para ela e a menina e me perguntou se eu me importava de comer dentro do carro, respondi que não, mas ela só esqueceu de falar que o carro ESTARIA EM MOVIMENTO.
A Dona Maria simplesmente colocou o pacote entre as pernas e a Diet Coke do lado e "vamo que vamo" foi dirigindo como se só a fome dela importasse naqueles longos vinte minutos.
Em uma mordida ela dava um zigue, na outra um zague e a mão cheia de gordura no volante, vai vendo.
Isso tudo aconteceu em uma Freeway ( 80-100 km/h) e eu fiquei pior ainda quando eu olhei para o lado e vi um, dois, três, quatro carros ziguezagueando e  todo mundo com sanduiche na mão. Vixi...Valei-me minha "nossa sinhora do Butantan, treis veiz venenosa" é hoje que eu empacoto.
Ela terminou de comer e a vontade imensa de ir ao banheiro ficou, e eu prendendo com todas as minhas forças uterinas o pum. Respeitando milhares de vidas que se encontravam naquela Fwy ( freeway), não soltei pra não explodir, eu só ouvia os puns internos, aliás, todos ouviam, tanto que a dona me perguntou porque eu não comia se o meu estômago estava roncando. Nada não, moça. Estou de regime, a comida na minha frente é só um exercício mental, estou tentando fazer isso flutuar pra ver se eu consigo enfiar na tua cara.
Desci na porta de casa com as pernas bambeando. Medo? Nada ( não existe no mundo sujeitinha mais frouxa que eu), era mesmo a vontade de ir para o banheiro e não poder correr.

Esse povo é esquisito demais, vai para o Drive thru e pede hamburguer com cheddar, bacon, tudo pra entupir as artérias de gordura e em seguida pensa: "Vou pegar leve, né! Ô moça, coloca aí uma Diet Coke". Ah, vá tomar banho nas cataratas do Iguaçu. Já que tá se ferrando termina de se foder, Zé banana.

Estamos planejando mais uma viagem, dessa vez é para onde deve ser, sem surpresas e sem calor.
Vamos para o destino que deveríamos ir antes, LAX (Los Angeles), e está se juntando a nós uma pessoa que a gente sentiu muito a falta, a Carol, lá de Ohio..que o parta.
Camis não vai conosco, vai vajar esse mês e vai gastar o dinheiro.
Montamos uma caravana para  o programa Silvio Santos, e tentaremos alugar uma Belina Del Rey pra carregar a pobraiada, nada mais nada menos do que seis ou sete meninas.
Algumas pessoas pensam que AuPair é rica, viajam pra tudo que é lado e blablabla. Só Deus sabe o quanto eu choro pra achar uma viagem bacana em um preço bom. Compramos sempre com antecedência de um mês ou mais pra viagem sair barata, pôxa, eu sou Au"Poor" e não AuPair.

Apresentando a Carol.



Carol é essa Jamanta cinco metros maior que eu, eu e Camis.














A menina está tão feliz que parece um saci de tanto que pula.
Somos tão mão de vaca que vamos chegar em Lax na sexta-feira por volta das 10pm, e vamos passar a noite no aeroporto, nem preciso falar que saltaram estrelinhas dos olhos de uma louca ( Carol), que ficou toda se querendo só de pensar que no Aeroporto de Lax passa um monte de celebridade.
Minha ideia era chegar no sábado de manhã, mas eu sou tão inclinada na ideia de me "foder" mesmo quando não é pra acontecer que eu aceitei o convite de passar a noite por lá, no conforto do chão de Los Angeles, e a Deza decidiu que também vai, pronto, já estou vendo a Mari indo, bem como o resto da patota.
Carol tem um palavra engraçada que ela diz sempre que achou graça de alguma coisa, diz "Rolei".
Sim, claro vai todo mundo "rolar" pra cadeia de LAX... Rolei.
Sempre que estamos com alguma viagem na cabeça e temos dinheiro pra fazer rola uma reunião pra decidir hotel, comprarmos as passagens e tudo mais.
Engraçado que as pautas que precisamos discutir no dia nunca são discutidas, nós temos um foco não tão focado assim, e vamos parar em assuntos diferentes, uma sai pra tomar banho, a outra rola e por aí vai.
Esse planejamento foi rápido, em três dias decidimos e compramos algumas passagens.
Nayra ( a garota que não tem mais gordura depois da depilação) me indicou um hotel, me disse que é bom, dá pra tomar banho e dormir. Ah, mas quem precisa dormir em Lax ( acho que pensei isso sobre Vegas).

Veja a felicidade da criança e um pouco do que rola nas reuniões extraordinárias.



Vamos torcer pra tudo dar certo, pelo menos desta vez. Se eu me lascar... vai ser com glamour.

Ah, duas horas depois da postagem, eu decidi postar um print da Carol me xingando pelo "Jamanta de cinco metros". Detalhe na Deza procurando as passagens pra ela e a gente nem azul pra ela.



About me (por Tom)

Joyce Galindo é uma semi-balzaquiana ( não existe SEMI neste caso), melhor dizer que sou uma velha de e tenho 28 anos, carioca com sotaque paulista( meu). Exigente por defeito genético, tentou passar na fila da exigência mas vezes, como não deixaram, ela foi buscar os seus direitos no atendimento ao consumidor. Chata pra cacete e detesta quando as pessoas usam o "Mim" antes do verbo, tendo até mesmo coragem de corrigir quem quer que seja em qualquer situação ( não é bem assim), deixo de lado os comentários que ela faz quando alguém "está tendo que usar o gerúndio". Já fez campanhas na empresa para o " Bom uso e emprego da palavra Literalmente", literalmente falando é díficil de aguentar (ops, empreguei a palavra errada, foi?).

É Formada em Marketing, decidiu ser aupair. O motivo? Segundo o que ela diz " Experiência Internacional, além de ser um MEGA up na carreira, é chique" - Mentira dela, na verdade ela sabe que os "mano pira nas mina poliglota"

E para muitos e principalmente para mim os motivos são:

" Essa daí? É louca de pedra por parte de pai e mãe" - Ana Paula

" Non-sense total" - Rafael

" Ela vai comprar Victoria Secrets e Guess mais barato que eu?!" - Paulão (what?!?! O.o).

"Agora que ficou internacional vai ficar díficil de aguentar, ela vai me corrigir no inglês também?" (vc ainda tem dúvida?) - Fábio R.


Vamos ver como é que ela vai voltar dessa MEGA expêriencia.




Seguidores

Você passou por aqui