Blogando a vida de Au Pair

E a vida continua uma caixinha de surpresas.

Bom, cheguei no aeroporto, claro que eu NAO VESTI A CAMISA  da agência, ela não entrava no meu ombro e quando entrou meus braços ficaram pendurados e quando eu me virava parecia um bonecão de Olinda, não rola.

Chegando lá, a primeira pessoa que eu bato o olho e reconheço é a Deza. Explico, durante o processo, algumas meninas fizeram uma comunidade no Orkut de quem embarcaria dia 03 de maio, e nós ficamos amigas, e combinamos de nos encontrar no aeroporto, depois encontrei a Camila e outras meninas (coooopinho).

Fiz o check-in e pedi para os meus pais irem embora, não chorei, chorei um pouquinho quando me despedi do meu irmão mais velho, mesmo assim ninguém viu.

Enfrentei dez horas de viagem até Dallas-TX, fiz escala de duas horas, e mais três horas de voo até New Jersey.
Acho que nem preciso dizer que a minha bunda de preto se resumiu a um horroroso formato quadrado, de tanto ficar sentada.

Cheguei ao Hilton Hotel.

Minha mãe não estava presente em casa durante algumas semanas, ela estava no Rio, cuidando do meu avô e ele morreu logo em seguida.
Liguei para ela e disse que eu consegui meu visto, e pedi pra ela ir embora para casa o mais rápido possível, eu ainda não tinha contado nada para o meu pai, aliás, ele não sabia de absolutamente nada sobre o intercâmbio, somente que eu tinha feito a inscrição, eu não comentei nada com ele, é que ele gosta de contar as coisas pra todo mundo mesmo eu pedindo segredo, então, já que é um semi-segredo mais ninguém poderia saber.
Conclusão: Ele só ficou sabendo da minha viagem  uma semana antes do embarque...hahaha

Desde o começo eu não recebi muito apoio da minha mãe, justo, ela não conhecia o intercâmbio, tinha que ficar encucada mesmo. Então, certo dia ela me disse que entregou nas mãos de Deus, e que se fosse pra eu ir eu iria.
Depois que contei para alguns familiares, esse depois eu quis dizer um dia antes do embarque, e de 14 tios que eu tenho somente cinco tios e dois primos ficaram sabendo, a maioria apoiou muiiiito, mas um não gostou da ideia dizendo que eu tenho ensino superior, e bla, bla,bla, não precisa fazer isso. Alo, mas eu quero.beijo.

Fiz as minhas malas um dia antes, ou seja, uma mala grande e outra pequena.
A grande deu 18kg e a pequena 7kg. Levei quase nada, somente sapatos, troca de roupa para uma semana e muiiiiitas calcinhas e soutiens porque aqui não tem calcinha normal como no Brasil.

Let's go, Baby.

Sofro por antecedência, por isso que criei um bicho de 18 cabeças e meia para a entrevista do visto.
Marquei a entrevista no consulado de São Paulo, preenchi o novo formulário para o visto, que agora é on-line. Eu fui a primeira AuPair da agência a preencher o novo formulário, então, eu fui à agência quebrar a cabeça com as meninas, ook.
Marquei a entrevista do meu visto para o dia 16/abril, data curiosa, depois explico o motivo.
Sofri durante duas semanas, pensando que meu visto seria negado, por não ter um inglês perfeito para o consulado, e bla, bla,bla.
Contei com a ajuda de muitas pessoas, muitas delas me acalmando para eu não ter um piripaque e do amitriptilina também, muitas se ofereceram pra ajudar no que fosse preciso, outra me ofereceu carona até o consulado que é lá no cu do mundo onde Edipo perdeu a vergonha, aliás, todo mundo agora dá um salve para a Tati (salve?! O.o tô virando mano corintiano?), ela me levou até o consulado e me ajudou muiiiiito. (Obrigada, viu, amiga).
Chegando lá, vi uma  fila imensa, cheguei às 7h30min, enfrentei fila, passei mal, tive vertigens de tanta ansiedade, enfim.
Chegou a minha vez de pegar a fila para a entrevista.
Pra quem não sabe,  dentro do consulado é um pátio enorme com um monte de presidiários monte de gente em pé, outras sentadas e as senhas sendo chamadas, mesmo assim o povo fazia fila (Ô, pobraiada que gosta de fila pensando em liquidação)e não precisava de filas.
Enfim, tinha um padre na minha frente, e o entrevistador demorou com o padre cerca de dez minutos ( se ele não fosse padre não teria fama de pedófilo), acho que o visto dele foi negado.
De tanto que ele demorou, abriu um guichê do lado, e me mandaram ir para lá.

Uma mocinha muito simpática me atendeu, novinha de tudo, ela começou a falar em espanhol comigo (ainda tem gente que acha que no Brasil se fala espanhol), logo depois a entrevista foi em inglês, putz, meu inglês estava tão bad que eu não entendia xongas do que ela falava, foi quando eu soltei " Sorry, I'm very nervous" e ela me responde "I'm so sorry too because is this my first day here", eu pensei "pronto, fodeu, ela vai negar o visto para mostrar serviço.
Fiquei uns cinco minutos no guichê, pedi para ela repetir milhares de vezes as perguntas, e ela com a maior boa vontade do mundo me repetiu, ela me pediu para aguardar, tirou os fios do fone, colocou no mudo e foi conversar com o velhinho. De longe eu avistava o velhinho dizendo não com a cabeça, e ela mostrando os meus papéis, e o velhinho mandou ela voltar. Ela me fez mais algumas perguntas e me disse " Oh, vc faz aniversário no dia 10/05, e faz 27", ela voltou a conversar com o cara e começou a me falar que meu visto seria negado por não apresentar vínculos suficientes com o Brasil.
Foi quando ela olhou para mim e viu a minha cara de choro, os olhos molhados, ela olhou para trás, pegou um papelzinho e circulou o J que é correspondente ao J1, passou o papel rápido pela fenda do guichê e me disse " Vai rápido, paga essa taxa e volta aqui neste guichê sem que aquele senhor te veja".
Fiz o que ela pediu, cheguei na fila, e desabei a chorar, voltei no guichê e ela me desejou boa viagem.

Não acreditando no fato ocorrido, liguei para a STB e falei com uma das orientadoras, o diálogo foi bem assim:
J: Oi, Fábia, tudo bem?
F: Tudo, e aí como é que foi?
J: Então, isso que eu queria saber. Quando a gente paga as taxas significa que eu consegui (não acreditando)
F: Claro! Joyce, vc conseguiu, parabéns, estamos felizes por você.  E agradeça a Deus por isso todos os dias, viu. Porque você está embarcando uma semana antes de completar 27 anos.

Outras meninas me disseram "Joy, se Deus existe, tenha certeza de que ele te ama muito"
Ok, acredito muito nisso.

Mesmo assim, eu só acreditei mesmo depois que meu passport chegou.

I GOT MY VISA.

PS.: Sobre a data curiosa que eu escrevi anteriormente, essa data (16/04) curiosamente sempre foi a data que eu começava a trabalhar em todos os meus empregos.

No dia 01/março recebo um e-mail assim ( colado na íntegra):

" Oi Joyce-
Adorei seu perfil e achei que voce tem uma cara MUITO simpatica!

Voce leu o meu perfil pra saber bem o que estamos procurando?

Voce esta querendo o que?
Ja tem a papelada ou visto pra vir pra ca?
Quando voce poderia vir?

Conta pra mim o que voce esta querendo...

Nos precisamos de alguem pra falar portugues em casa!  temos uma familia bastante animada e divertida...

Mill Valley eh uma cidade MUITO pequena e LINDISSIMA... caminhadas lindas, arvores e parques lindissimos...

escreva pra mim.

Beijos

R."


No  Primeiro momento eu pensei que não passaria desse e-mail, mas eu resolvi responder,  para a minha surpresa descobri que  era uma coisa séria.
A familía não pertencia a nenhuma agência, mas disse que entraria na agência da aupair que fosse escolhida.

Ficamos vinte dias no emailpralá-emailpracá, belo dia ela  (R.) me ligou e disse, "ok, gostei de você,  vamos fazer o match?"
Depois disso ela procurou a AuPair care, preencheu um aplication e mais um problema, ela não conseguia me visualizar. R. ligou para a AuPair Care e disseram que eu estava disponível somente para famílias under 2, e ela não tinha crianças com menos de dois anos (como assim?), pois é, por esse motivo eu não tinha contato de ninguém no aupairroom.
Ela solicitou para que ela pudesse ver o meu perfil e esperamos alguns dias para a organização aceitar a família, nesse período algumas famílias me adicionaram, como eu já tinha feito um acordo verbal e a família entrou para a APC eu dispensei as demais famílias.

Para se ter uma ideia de como Deus foi MAAARA (ok, eu detesto essa palavra mas é pra se entender) comigo, olha o cronograma de embarque da APC:
Consiste em data de match, data de embarque correspondente àquela data do match e datas de treinamento.
O match oficial aconteceu em 24/março, duas semanas antes do cancelamento do meu perfil (pois eu completaria 27 em maio) que provavelmente não daria tempo para o envio do DS2019 e do J1, documentos para o intercâmbio. Veja em amarelo.

Au Pair Arrival Dates

Au Pair Care au pairs arrive throughout the year, at least every two weeks and more often in the summer months.  Consult with our arrival and match deadline calendar below and select the best arrival date to fit your family’s schedule.

2010 Arrival Dates

Match DeadlineUS ArrivalHome Arrival Standard ProgramHome Arrival
Infant Program
2010
Jan 7
Jan 21
Feb 4
Feb 18
Mar 4
Mar 18
Apr 1
Apr 22
May 13
May 27
June 10
June 17
June 24*
July 8*
July 15
July 22
July 29
Aug 12
Aug 26
Sep 2
Sep 16
Sep 30
Oct 14*
Nov 4
Nov 11
Feb 8
Feb 22
Mar 8
Mar 22
Apr 5
Apr 19
May 3
May 24
June 14
June 28
July 12
July 19
July 26*
Aug 9*
Aug 16
Aug 23
Aug 30
Sep 13
Sep 27
Oct 4
Oct 18
Nov 1
Nov 15*
Dec 6
Dec 13
Feb 11
Feb 25
Mar 11
Mar 25
Apr 8
Apr 22
May 6
May 27
June 17
July 1
July 15
July 22
July 29
Aug 12
Aug 19
Aug 26
Sep 2
Sep 16
Sep 30
Oct 7
Oct 21
Nov 4
Nov 18
Dec 9
Dec 16
Feb 12
Feb 26
Mar 12
Mar 26
Apr 9
Apr 23
May 7
May 28
June 18
July 2
July 16
July 23
July 30
Aug 13
Aug 20
Aug 27
Sep 3
Sep 17
Oct 1
Oct 8
Oct 22
Nov 5
Nov 19
Dec 10
Dec 17

As datas de postagem com a data que eu escrever aqui vão parecer confusas, como eu disse, resolvi escrever o blog só depois de tudo certo.
Já estou aqui, e vou contando o meu processo.

Vamos lá então...

Fiz minha inscrição no dia 01/ago/09, detalhe, para a minha data de nascimento 10/maio/83, ou seja, 26 anos.
Demorei um pouco devido a falta de tempo e a enrolação do médico não querer assinar meu atestado de saúde, ele não quis se comprometer, oook, eu vou me lembrar disso quando ele precisar de doação de sangue.
 Nesse tempo eu terminei a minha faculdade, eu fiz Marketing, e fiz tudo que eu tinha pra fazer.
Fui mandada embora do meu emprego (uhu!) e entreguei a documentação para a STB no dia 15/dez/09.

Bom, aí começou o meu sofrimento, demorei 41 (QUARENTA E UM) dias para ficar on-line, não é normal isso, geralmente o tempo que se leva em média é 20 dias.
Meu desespero ficou ainda maior porque eu só tinha um mês e meio pra arrumar uma família, ou menos, pois eu fiquei on line no dia 26/jan.
Depois disso, uma semana depois uma família do Texas me adicionou e em dois dias eles não me ligaram, oook, vou me lembrar disso também.
Enfim, não tive nenhum contato pela AuPair Care, foi aí que algumas meninas me falaram sobre um site chama Great au pair (www.greataupair.com), e me explicaram que este site é usado por famílias que não querem au pair por agência, mesmo assim eu decidi tentar. Tentei, tentei, adicionei famílias mas a resposta que eu sempre recebia era "Não, obrigada".

Fevereiro chegou e eu já estava chorando de desespero, alguns diziam que eu não conseguiria, mas eu acreditava que o meu sofrimento todo tinha que ter uma recompensa.
Fevereiro terminou e eu começo a chorar (literalmente).
Março chegou e eu recebo um e-mail do GAP.

About me (por Tom)

Joyce Galindo é uma semi-balzaquiana ( não existe SEMI neste caso), melhor dizer que sou uma velha de e tenho 28 anos, carioca com sotaque paulista( meu). Exigente por defeito genético, tentou passar na fila da exigência mas vezes, como não deixaram, ela foi buscar os seus direitos no atendimento ao consumidor. Chata pra cacete e detesta quando as pessoas usam o "Mim" antes do verbo, tendo até mesmo coragem de corrigir quem quer que seja em qualquer situação ( não é bem assim), deixo de lado os comentários que ela faz quando alguém "está tendo que usar o gerúndio". Já fez campanhas na empresa para o " Bom uso e emprego da palavra Literalmente", literalmente falando é díficil de aguentar (ops, empreguei a palavra errada, foi?).

É Formada em Marketing, decidiu ser aupair. O motivo? Segundo o que ela diz " Experiência Internacional, além de ser um MEGA up na carreira, é chique" - Mentira dela, na verdade ela sabe que os "mano pira nas mina poliglota"

E para muitos e principalmente para mim os motivos são:

" Essa daí? É louca de pedra por parte de pai e mãe" - Ana Paula

" Non-sense total" - Rafael

" Ela vai comprar Victoria Secrets e Guess mais barato que eu?!" - Paulão (what?!?! O.o).

"Agora que ficou internacional vai ficar díficil de aguentar, ela vai me corrigir no inglês também?" (vc ainda tem dúvida?) - Fábio R.


Vamos ver como é que ela vai voltar dessa MEGA expêriencia.




Seguidores

Você passou por aqui