Essa semana, o caçula me viu arrumada para ir para a academia e me perguntou onde eu ia, respondi que ia para a academia queimar algumas gorduras, ele me olhou, fez uma cara de espanto e respondeu "Eu gosto tanto de você. Porque você quer se queimar?" O.o

Lola chegou, toda fofa, beijoqueira e totalmente fitness. Sim, a garota de dois anos que mal fala é fissurada em escadas, chegou, viu as escadas, segurou na minha mão e lá vamos nós subir e descer as escadas sem propósito algum durante vinte minutos. Come e começa a correr em círculos pela ilha que tem na cozinha, umas três voltas, toda vez é assim, come e corre ou sobe escadas. Ela gosta de pegar em tudo aquilo que é bom...Rímel e dinheiro estão entre os seus favoritos e três dias após chegar, ela já falou sua primeira palavra. Mamãe, papai? Nada, isso é coisa de criança sulamericana. A primeira palavra dela foi: Sapato! Aposto a minha vó que a segunda vai ser "Armani" ou "Yves Saint Laurent"

Meu dia de natal foi bom, obrigada! Série de acontecimentos e risadas.
Na cultura norte americana não há costume de esperar o dia 25 chegar igual no Brasil que fica todo mundo aluado, esbugalhando os olhos de sono, se entupindo daquela rabanada gordurosa polvilhada com açúcar cristal e canela em cima daquele pão amanhecido de três dias. Esse ritual todo é só para esperar virar o dia 24/25 e ver uns fogos bobos. Yey, é só isso cambada! Bora dormir que amanhã tem churrasco o dia todo, você gastou o seu décimo terceiro ( ou seria péssimo terceiro?) inteirinho para comprar bebida e carne pra encher o pandú da pobraiada vai que se debandar até sua casa para comer de graça e sacudir a pança com os pagodinhos mais cornos mela-cuecas que já se ouviu e no meio da festa ( festa?) depois do povo ter bebido e comido de monte, todos prontos para deixarem o recinto e fazer com que a paz seja reestabelecida na vizinhança, tem sempre um filho da puta que tem o toba ligado nos 220V que coloca Negritude Jr pra tocar. Daí a galera delira, recupera o fôlego soltando um  "uhuu" renascendo das cinzas como Fênix, colocam as mãos para o alto para ouvir aquela música que nunca mais deveria tocar em nenhuma carrapeta. O ápice é quando a negada se une num coro para cantar o hino de admissão para o inferno, regido pelo cramulhão "Tô chegando na Cohab, pra curtir minha galera..."Vai ficar legal, pagode na Cohab no maior astral, em frente à lanchonete". Nisso junta também a galera que não estava na festa, mas que ao ouvir a música incorporou o espírito de porco e foi se juntar ao povo que já estava na festa. Dependendo do Estado isso vai até quatro ou cinco da manhã, menos na Bahia.

Diz a Bíblia sobre Deus, que se houver dois ou mais reunidos em nome de Deus, ali  Ele estaria. Mesmo que houver só um cara, com uma cerveja na mão andando num gol bolinha 97 comprado no leilão, usando cinto na cor caramelo combinando com o sapato na mesma cor, com cabelo raspado deixando somente um pequeno topete emplastrado de gel, perto de alguma situação rotineira/tosca que pudesse virar um pagode, e ainda estando perto qualquer coisa que se possa batucar, seja uma mesa, cadeira ou uma caixinha de fósforo, ali estaria o Netinho.

Quer coisa pior que isso? Sim! Sempre tem um que gosta de deixar a festa mais pobre ainda "Ei, vamo ali no VAL mart ( wall mart) comprar morango, leite condensado e sidra cereser para fazer uma batida". Ai não contente, a pobrona do outro lado dá um grito e acena com aquele suvaco flácido balançando "Não compra sidra, tá caro. Compra o Sangue de boi, galão de "treis litro" e o resto cê compra de linguiça Marba. Ah, "trais umas Coca tamém que é para desentupir o vaso. Pega a belina do Zé que a Brasília do Jão não tá fechando a porta"

No ano novo a coisa é mais ou menos parecida, vai todo mundo fazer farofa na praia, pular sete ondinhas, e jogar oferendas para iemanjá... (Laugh so hard) Como se iemanjá fosse mesmo se importar com as oferendas que são dadas na Martim de Sá ou Praia Grande. Ela foi para Ibiza e não volta mais.
Acredita mesmo você que iemanjá passa por Caraguatatuba e Praia Grande?  Don't be besta, o máximo que passa por lá é um vulto e ainda você pode ganhar é um caco de vidro no pé do champagne da Sidra Cereser do reveillon de 2009.

No natal ( dia 25) eu fui para Orinda, na casa dos pais da host da Ana, quarenta minutos dirigindo em uma chuva medonha. A casa era fofa, pequena, aconchegante, maior climão de natal, cheia de gente, muito bom. Ana precisava falar com os pais e foi usar o computador em uma sala que ficava de frente com a hot tube.
Em um frio da moléstia, eis que eu vejo um cara peladão andando do lado de fora, depois mais um e outro. Todos entrando na hot tube e fumando maconha. Eu poderia ter ficado contente por esse "presente" de natal, mas não, eu fiquei foi é muito constrangida e muito puta da vida. Foi a visão do inferno em dois minutos. Transparentes, sem bunda ou qualquer outra coisa que poderia se chamar de músculos. Custa comer um pouco mais pra ter carne no corpo?
Bebi três tacinhas de champagne, logo depois comemos e depois disso Ana e eu decidimos vazar. 
Eu nunca bebo, só por causa disso as coisas começaram a acontecer. Liguei o carro, acendi as luzes, acelerei..."Ana o carro não anda", claro, eu não ia conseguir mesmo dirigir com o carro na marcha P (parking=estacionado), eu tinha que colocar na marcha D (drive=dirigir).
Pegamos o caminho de volta que deveria durar 40 minutos se não fosse o GPS que me fez dirigir durante duas horas. Nesse percurso tenho que confessar que fui parada pela polícia foi só porque eu fechei o carro da polícia. Vamos embora. Eu prefiro ter um filho viado do que ser parada pela polícia de novo...Ai, ai, ai , Joyce, de novo, você esqueceu de acender as luzes do farol, encosta o carro e vai conversar com o cop. Pelo menos eu não vou ter um filho viado. Fui parada duas vezes em menos de duas horas.
Em todos eu não levei nenhuma multa, eles me disseram "Ok, Xmas time, go home if I catch you again, I promisse you I'm gonna catch your car and I'll give a ticket, make sense?" Foram simpáticos os cops.

Comecei o ano indo para festa de aniversário.  A festa foi em uma Lego Land, ou seja, uma sala com dois ambientes, cheio de crianças e Legos. Criança e Lego é uma combinação cruel. O quê é mais perigoso? Um Lego entalado na sua guela ou uma criança com um saco de Lego nas mãos pronta pra te atacar.
A criançada é meio louca por isso nesse país, tudo pelas infinitas montagens que se pode fazer com isso. Espero, do fundo do meu coração que eles nunca construam um nabo, deve ser desconfortável a beça um nabo de Legos entrando com todas aquelas pontinhas viradas pra fora.
U-um! isso não é uma combinação legal, deixa eu picar a minha mula rapidinho...hmmm, croissant, vou ficar.
Na festa tinha alguns instrutores, um deles depois da festa veio conversar comigo e me disse "My babysitter has a hair like yours"...É mesmo? E?
Se tem uma coisa que faz a aupair entrar no seu inferno astral e antecipar a TPM, o nome disso é Lego.
Uma criança diz "Hey, let's go play with Legos", por favor, não vá, a criança deve ter construido uma metralhadora de Legos que lança Legos e quer testar em você.

Por fim, me ferrei de novo comprando calcinhas, fui no GAP e estavam em promoção, peguei tamanho M, cheguei em casa, vesti, parecia que eu tinha feito cocozinho, ficou uma trouxinha solta na bunda.
Tomei!