Não existe panguazice maior do que viver em um país há mais de um ano e ainda não saber diferenciar molho  Salsa do molho de tomate. É tudo vermelho, mas vermelho por vermelho, melhor o molho picante do que sangue.
O molho Salsa é um molho MEXICANO, mega pimentado, é o molho mais fodão que existe para quem quiser colocar a frase "Pimenta no olho dos outros é refresco". Para quem tem probleminha no toba uma provadinha já vai fazer o coçar o furico. E para quem não tem hemorróidas e quer adquirir algumas unidades, fica a dica.

Macarrão feito, alho picadinho e dourado, vamos colocar o tal "molho de tomate".
Pobre que representa tem que se lambuzar e fazer bonito na cozinha. Economizar para que?
Abre a lata de "molho de tomate" aí, levanta mais um pouquinho e deixa pingar bastante na camisa para acreditarem que você cozinhou. Agora prova a gororoba... enche mais o garfo, isso. Agora abre essa caçapa que você chama de boca e come... Segure as lágrimas, o cachorro está olhando, não deixe ele perceber que você colocou o molho errado no seu macarrão, continue comendo como se nada estivesse acontecendo. Tá, agora finge que vai dar um pouco para o cachorro e deixa ele passar vontade.
Língua? Já deixei de ter uma nesse dia. 
Fiz questão de comer tudo. Quando uma pessoa é toda trabalhada no borogodó da finura não há comida mais quente ou ruim que faça uma pessoa PHYNA jogar tudo para fora da boca. "Spraiti" existe para anular o gosto ruim da comida, besta.
É assim que se consegue comer CINCO Carolinas de Atum em uma certa festa. Elegância também precisa de  demonstrações de coragem... Coragem para ir a festa em que o chefe mais fresco escolhe o menu. Próxima vez vou forrar o estômago antes.
Ai, esse cigano Igor não dava uma dentro ( piadinha que só cinco pessoas entendem)

Atualizando a coisa...
Continuo besta e bicho marmota, minhas medidas reduziram e a exigência continua.
Bom, esse post comecei em 26/06/11 e não postei...
Agora vamos aos fatos ocorridos:
Tirei férias de dois meses sem os quinteto, família foi para a Europa e eu fiquei no vidão de aupair de férias.
Em um dia eu fazia nada, e no outro coisa nenhuma. 
Fui para a balada de Segunda até Domingo durante quase dois meses e decidi me aposentar. Não fica bem uma senhora de vinte e oito anos circulando nos bares de mini saia e salto alto...Tudo bem que eu não parecia uma senhora, menos ainda uma puta. A coisa mais amigável que eu ouvi de um grupo que estava próximo foi: Nossa, olha aquele travecão, parece a Vera-Verão.
Acho que não preciso dizer que esse era um grupo de goiano calça atouxada no rabo que disse isso. Enfim, melhor ser comparada com traveco do que ser chamada de goiano catador de tomate e cantor sertanejo nas horas livres.
- Depois disso eu decidi tirar férias. Fui para a casa da Buba, minha amiga Sérvia que se mudou para Filadélfia...Teria sido uma tudo lindo se a tal da "fela da puta" da Irene ( furacão), não tivesse tirado férias comigo por aquela área...Melou meu passeio por NY, e fiquei trancada em um porão jogando pingue-pongue com uma Sérvia de 1.80... Quis dizer, tenho a marca dos pingues e pongues  por todo o meu corpo até hoje.

- Bom, amigos novos chegaram, os velhos se foram. Me meti em confusão por causa das Sul Africanas, pois uma delas decidiu beber demais, portar identidade falsa e dar vexame na frente do clube..Acho que foi nesse dia que eu deixei minha breve carreira de baladeira.
Deu uma tal moda de host family só querer aupair brasileira por aqui e por todo o canto que ando eu escuto um bendito falando português, até mais que antes.

- Conheci o Josh, namorei o Josh, e terminei com o Josh....por sms, mas graças a Deus meus amigos seguraram a minha barra e não me deixaram ficar deprê.
- Conheci o Davey, virei amiga do Davey, e eu ainda não sei quem é mais enrolado, se eu ou ele, carinhosamente chamado de Lerdinho pelas minhas amigas. Esse aí é só para as próximas duzentas vidas, não nessa.
- Tive Halloween? Não esse ano, resolvi ficar quietinha no meu cantinho. Na verdade minha cara de bruxa era muito real, e o cagaço de ir para a fogueira me fez sossegar dentro da casa.
- Emagreci e estou mais gostosa que uma barrinha de chocolate.
-Teve terremoto, forte, podemos considerar assim. E eu, dormindo como sempre, nem senti. Chupei dedo!
-Tá, decidi aceitar que meu inglês tá bom, depois de muito dizer para mim mesma que meu inglês ainda estava ruim. O fato só aconteceu depois que eu estava conversando com um grupo de pessoas e eu disse que eu era brasileira e eles responderam: Kidding??? You are not brazilian! Your English has no accent 
( Zuando? Você não é brasileira. Seu inglês não tem sotaque.)...É mais de vez em quando o inglês falha.
Muitas outras coisas aconteceram, mas é claro, não vou falar tudo que acontece comigo.

Tenho muitas novidades para contar, mas claro, isso só vou contando conforme as coisas acontecerem.
Faltam poucos meses para eu me despedir de San Francisco. Confesso que eu não consigo me ver morando  em nenhum outro lugar do mundo que não seja essa cidade.
Sabe a sensação de encontro? É assim que me sinto. Sinto que nasci para viver nessa cidade, embora os costumes mundanos dessa cidade vão contra todos os meus valores e contra o que eu acredito.
Você mora em uma cidade que ninguém é muito aberto, com mil motivos para se sentir solitária e ter nostalgias. Ficar com gripe e não ter ninguém para te ajudar, ter amigos que vem, outros que vão e que provavelmente nunca mais verá, às vezes não ter quem lembre do seu aniversário ( só os pais, parentes do Brasil). Tenho todos esses motivos para poder sair correndo ou chorar no ouvido da minha mãe no telefone todos os dias, mas não, me sinto totalmente feliz nesse lugar que Deus me enviou para morar esses dois anos... sinto como se isso fosse o quintal de casa...Um quintal que eu não consigo achar uma porra de uma vaga para estacionar o carro, mas é meu quintal.

Hoje é só! Os erros de português e a não concordância estão gritando nesse post...e daí, nem ligo.