"...nada se perde, nada se cria, tudo se transforma" - Lavoisier -  Em outras palavras: Não se pode criar algo do nada e nem transformar algo em nada. Nunca se cria e nem se elimina a matéria, mas é apenas possível transformar de uma forma a outra.
Chamam isso de A Lei da Conservação das Massas, mais conhecida como a Lei de Lavoisier, que também pode se chamar de lei da vida, ou como você queira aplicar isso.

Ano 2...

Já se vão dois anos - completos em 03 de maio de 2012.
Parece que foi ontem que eu passei noites e noites em frente ao computador procurando intercâmbio, conversando com pessoas que estavam fora do Brasil, pedindo informações, recebendo prós e contras, outras vezes nem recebendo respostas. O stress era altíssimo e minha mãe "torrando o saco" querendo saber o que tanto eu fazia no computador que eu não deixava ela ver. Não foram meses pesquisando, foram anos até eu tomar a decisão de última hora que ser au pair seria a melhor opção.
Ou isso, ou nada, então optei pelo isso, que era incerto, mas era melhor que nada, e muito melhor do que o quê eu tinha.

Considero a minha escolha pelo isso, um divisor de águas. Se Deus não tivesse colocado isso na minha vida, como eu estaria hoje?
Sabe aquelas escolhas que você faz, e que muda o rumo que a sua vida estava prestes a tomar?
Aquelas coisas de destino, como perder o ônibus e chegar atrasado no trabalho - e você perdeu o ônibus que teve um acidente horrível e todo mundo morreu, ou, você pegou o caminho errado para o seu trabalho, a gasolina acabou no meio da estrada e aí pára um cara mais gato do mundo, te dá uma carona e pega o seu telefone?
E se nada desses imprevistos tivessem acontecido? Se você tivesse pego o ônibus? Será que você morreria junto, ou só pelo fato de você estar lá ninguém morreria? E se você não tivesse errado o caminho para o trabalho? Talvez a gasolina não teria acabado e você chegaria cedo, seria promovido talvez,  ao invés de encontrar o cara mais gato do mundo que te daria uma carona até o trabalho.
É como se existisse duas estradas na sua frente, e só quando você começa a percorrer o caminho é que você começa a pensar "Hmm, e o que teria acontecido comigo se eu tivesse pegado aquela outra estrada?" Me entende? Estou falando de instantes que mudam o rumo da sua vida.
Seja qual for o rumo que minha vida teria tomado escolhendo a outra estrada, eu estou muito feliz de ter     tido a oportunidade de andar por essa estrada que eu peguei.
Uma das melhores coisas que acontecem nesse momento de "Agora dá ou desce" que aparece na vida, são os frutos que serão colhidos durante o percurso. Frutos bons que te alimentam e te enchem de boas expectativas, combustível para continuar na estrada só para ver o quê vem mais à frente. É a sensação de que você é a pessoa mais forte do mundo e que nada vai te parar.

Nesse percurso cada pecinha que é encontrada vai se juntando uma na outra, uma peça imperfeita, a outra perfeita, que mesmo assim, quando se juntam formam uma peça perfeita, uma areiazinha aqui e outra ali que vai preenchendo espaços entre as pedras.
 E você conhece um monte de gente, as interessantes, as nem tão interessantes, as chatas, as legais, e acaba querendo ser um pouquinho de cada uma dessas pessoas...e você passa a ter um pouquinho de cada uma dessas pessoas. 

E nesses dois anos que fui Au Pair, houve, sem dúvidas momentos de NERVOS à flor da pele, o dia que você quer fazer arremesso de criança pela janela, desafio de conviver com pessoas que não são como você e tentar entender as pessoas, assim como as pessoas tentam te entender, certificando aquilo o que eu sempre tive certeza, mas que precisava de carimbo do tabelião: De que a convivência, é mesmo uma merda.

Se eu pudesse, faria tudo de novo, e de novo, e de novo.